Associação

A Associação de Radioamadores do Litoral Alentejano (ARLA) é uma associação de carácter científico e técnico, apolítica e apartidária sem qualquer vínculo de ordem religiosa, sem fins lucrativos e de duração ilimitada.

Embora seja designada como Associação de Radioamadores, as suas atividades são perfeitamente extensíveis a pessoas que não sejam ainda licenciadas pela Autoridade Nacional de Comunicações nem possuam o respetivo Certificado para o Serviço de Amador e Amador por Satélite.

Outra vertente desta Associação é a defesa dos interesses dos seus associados relativos a estas atividades, a formação pessoal e a divulgação do Serviço de Amador e Amador por Satélite ou radioamadorismo.

Convidamos todos os nossos visitantes a nos ajudarem a atingir os nossos objetivos através da sua colaboração que será sempre bem vinda e estimada.

Nas páginas seguintes poderá saber mais sobre a nossa associação, onde estamos, quem somos e como nos organizamos. Se desejar associar-se à ARLA, veja aqui como.

Os fins e objetivos da ARLA

São fins e objetivos a atingir pela ARLA estabelecidos nos seus Estatutos :

  • Agrupar e organizar todos aqueles que se dediquem ao estudo e prática das comunicações, especialmente as que fazem uso de transmissão, emissão e receção de símbolos, sinais, escrita, imagens, sons ou informação de qualquer natureza, por ondas radioelétricas, incluindo os fenómenos físicos de transferência de energia eletromagnética por indução no espaço, bem como ao de outras atividades afins, em qualquer dos seus aspetos e manifestações, promovendo ações que possibilitem uma continua atualização técnica dos seus associados.
  • Representar e defender os interesses dos seus associados, junto das autarquias, outras entidades oficiais portuguesas e organismos nacionais e internacionais públicos ou privados, nomeadamente no âmbito das comunicações e das atividades afins a desenvolver pela Associação.
  • Organizar os seus sócios de forma a que se não perturbe a atividade das comunicações em geral e do Radioamadorismo em particular, permitindo assim um contributo válido para ajudar a manter a qualidade das atuações das estações filiadas, através da formação dos seus associados nos mais elevados padrões técnicos e de cultura cívica.
  • Colaborar com as restantes Associações afins e com as entidades oficiais na elaboração dos preceitos legais, bem como no cumprimento por parte dos seus sócios desses mesmos preceitos, e das normas internacionais em vigor respeitantes ao exercício das radiocomunicações e das atividades com elas ligadas.
  • Fomentar e divulgar progressos técnicos em diferentes domínios da ciência e das comunicações em particular, promovendo encontros de Radioamadores e outros interessados, tendo em vista o desenvolvimento das suas relações quer no campo técnico quer no campo sócio cultural, onde se abordarão temas relacionados com as últimas novidades ou com os sucessos conseguidos com determinadas inovações.
  • Criar, instalar e manter, sempre que possível, dispositivos técnicos, de acordo com a legislação em vigor, que sirvam de apoio de comunicações às estações amadoras, ou prossigam outros fins legalmente permitidos aos utentes com licença válida de Estação de Amador Nacional. Partilhar entre os seus associados com o Certificado de Amador Nacional uma estação na sede da ARLA caso existam condições de ordem técnica e viabilidade para a sua instalação e manutenção.
  • Colaborar com as entidades competentes ao nível local, regional e até nacional quando tal se justificar, na área da Proteção Civil, organizando planos de atuação dos associados em caso de ocorrência e os respetivos exercícios de preparação, de prontidão operacional e treino.
  • Colaborar com os Radioamadores Nacionais e Estrangeiros, estando aberta a projetos de trabalho dentro dessa atividade que visem, de algum modo, atingir os seus fins.
  • Promover cursos de formação, prioritariamente destinados a associados que tenham como objetivo a preparação para o exame de aptidão do Certificado de Amador Nacional para o Serviço de Amador e Amador por Satélite correspondente ou a sua evolução para uma categoria superior, dando o apoio técnico possível à instalação e utilização da sua estação constituída por equipamentos radioelétricos e sistemas radiantes de construção artesanal.
  • Manter informados os Associados sobre as atividades da ARLA.
  • Promover por si só ou em colaboração com Associações congéneres nacionais ou estrangeiras, e outros organismos afins, a divulgação e desenvolvimento das telecomunicações.

A área geográfica de implantação da ARLA

A Associação tem a sua sede em Santiago do Cacém, na Rua do Parque 10 (antigo Colégio de S. José), podendo estabelecer Delegações em qualquer parte dos Concelhos de Grândola, Alcácer do Sal, Santiago do Cacém, Sines e Odemira.

A sua área geográfica, onde se procura implantar e que está definida como a sua zona de intervenção é o distrito de Setúbal. Paralelamente está também regulamentado internamente o estabelecimento de Núcleos de Sócios em qualquer parte do território nacional gozando de determinadas regalias equivalentes em certa medida às Delegações.

O Primeiro Núcleo a ser estabelecido fora do território da área geográfica abrangida pelos Estatutos foi o da cidade de Setúbal abrangendo o respetivo Concelho.

Esta Associação constitui-se como um mecanismo de defesa dos interesses dos Radioamadores, sobretudo os que se encontram localizados dos Concelhos da região do Litoral da Província do Alentejo e dos seus Núcleos de Sócios, assumindo-se ainda como organização representativa dos seus associados sem prejuízo de anterior trabalho desenvolvido por outras organizações com as mesmas competências a funcionarem ou a atuarem nestes mesmos Concelhos, e como tal, colabora com as Associações Nacionais, Regionais, Locais e Clubes de Radioamadores nesse sentido.

A ARLA tenta implantar-se como a organização de todos os curiosos ou interessados nos assuntos que constam dos seus fins e objetivos, possuidores ou não de Certificado de Amador Nacional, assim como primordial parceiro dos Serviços Municipais para as questões de comunicações relacionadas com os serviços que, nomeadamente as estações do Serviço de Amador Nacional e da Banda do Cidadão suas filiadas, podem proporcionar às comunidades nos Concelhos da sua implantação.

De toda a forma estes princípios consagrados nos seus estatutos não são limitativos em relação aos seus associados, já que qualquer pessoa independentemente da área geográfica onde reside se pode tornar membro desta organização.

 

Estatutos (PDF)

Regulamentos internos (PDF)